Autopiedade - Conheça os problemas e como superá-los

Autopiedade: os problemas de “ter dó de si mesmo” e como tratar

Autopiedade: os problemas de “ter dó de si mesmo” e como tratar

Muitas pessoas sentem dó de si mesmas em uma escala muito além do normal e isso pode prejudicar diretamente seu desenvolvimento pessoal e profissional

Quem acompanha as postagens aqui no blog sabe que sempre batemos na tecla do autoconhecimento. E, dentro deste universo, a autopiedade também tem um papel relevante e deve ser observada e tratada com cuidados redobrados, com a devida atenção. É importante para o próprio desenvolvimento pessoal e profissional, que a pessoa pare de sentir dó de si mesmo, não concorda? Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto.

Veja aqui quais são os problemas mais claros da autopiedade

1 – Dificuldade em superar obstáculos

A autopiedade é um estado de vitimização constante que cria verdadeiras barreiras emocionais sempre que surgem obstáculos e situações adversas pelo caminho. Com o tempo, isso acaba gerando problemas muito grandes no desenvolvimento pessoal e profissional do indivíduo.

2 – Avaliação deturpada

Outro problema é que a autopiedade cria uma avaliação deturpada de si próprio, ou seja, a pessoa não consegue enxergar e colocar em prática suas principais virtudes e habilidades. Sempre há a sensação de que a própria capacidade não é suficiente para ter êxito em alguma situação.

3 – Inércia

O resultado de não se sentir à altura de superar obstáculos e evoluir como pessoa ou profissional é a inércia. A pessoa, literalmente, fica paralisada em um determinado ponto da vida e não vê qualquer perspectiva de avanço e futuro. A pessoa acaba criando uma própria armadilha.

4- Colecionador de dores

Quem conhece uma pessoa assim sabe que existe uma verdadeira obsessão em colecionar (e deixar claro para todo mundo) problemas e sofrimentos, o que a pessoa considera como derrotas. Uma coleção de dores que eventualmente funcionam como muletas para futuras frustrações.

5 – Apego ao passado

A autopiedade pode ter origem em grandes traumas psicológicos vividos, como uma morte de um familiar, a perda do emprego, o fim de um relacionamento e assim por diante.  A pessoa tem a tendência de remoer o passado sempre que uma situação minimamente semelhante se apresenta, o que por si só, já cria barreiras emocionais difíceis de superar.

Como superar?

  • O fracasso faz parte: é preciso compreender que todo mundo falha, todo mundo erra e os deslizes são naturais. Errar faz parte do aprendizado e aprendemos com o que vivemos. E também é preciso compreender que os erros sempre estarão por perto.
  • Imprevistos acontecem: para acabar com a autopiedade é preciso compreender que os imprevistos vão surgir pelo caminho e que não adianta tentar evitá-los. O segredo é saber encarar e superar. Estar preparado é uma necessidade.
  • Praticidade é fundamental: faz toda a diferencial ser uma pessoa mais prática em muitas situações, principalmente para resolver rapidamente alguns pequenos problemas, evitando que tudo ganhe uma proporção maior.
  • Ressignifique traumas: tente atribuir um novo significado aos traumas do passado. Por exemplo, ao lembrar de uma demissão, tente enxergar algo positivo naquele momento. Em muitos casos, a mudança de emprego pode representar um novo caminho que se abriu em sua vida, o que não aconteceria se permanecesse no mesmo local de trabalho por anos e anos.
  • Entenda e cuide das próprias emoções: é preciso olhar para o seu próprio interior, olhar com carinho para suas emoções. Através de treinamentos de inteligência emocional é possível identificar os gatilhos emocionais que geram a autopiedade, assim como trabalhar métodos para buscar uma vida mais equilibrada e feliz!

A Arita está ao seu lado!

São mais de 30 anos de know-how na área com o mesmo compromisso desde a fundação: estar ao lado do cliente quando ele mais precisa! Confira como a inteligência emocional funciona na prática: fale com um dos nossos especialistas.

ARTIGOS RELACIONADOS