Liderança positiva: 4 coisas que bons líderes fazem

Liderança positiva: 4 coisas que bons líderes fazem

Liderança positiva: 4 coisas que bons líderes fazem

liderança positiva

Ser líder é uma tarefa que envolve múltiplos talentos. Além da boa comunicação, é fundamental ter visão de futuro, capacidade analítica e excelente poder de tomada de decisão. Contudo, um dos aspectos mais importantes é o relacionamento interpessoal.

Saber administrar o time é uma das marcas da liderança positiva e é um ponto que diferencia esses profissionais dos chefes. Embora cada um tenha sua maneira de atuar, algumas características são compartilhadas.

Para saber quais são elas, veja 4 coisas que os executores de uma liderança positiva fazem e entenda a relevância dessas ações.

1. A empatia é uma das marcas de uma boa liderança

A comunicação e as relações interpessoais são cruciais para os bons resultados de um líder, como visto. Para que os efeitos possam ser atingidos, por sua vez, é fundamental recorrer a um elemento: a empatia.

Em geral, a liderança positiva compreende a relevância de ouvir o que os integrantes da equipe têm a dizer, quais são os seus problemas e necessidades. Ainda que tudo não possa ser atendido da forma como é apresentado, o fato de se dispor a escutar e se colocar no lugar do outro já é um exercício fundamental.

Isso demonstra, principalmente, que o profissional se importa com a equipe e que vai além de apenas números que podem ser medidos. Eventualmente, é um jeito de estabelecer confiança, integração e inspiração.

2. A liderança positiva também é marcada pelo exemplo

Qualquer expoente do time precisa inspirar e motivar os colaboradores para que os objetivos de negócio sejam atingidos. É o que faz com que as pessoas se engajem e sigam rumo às metas estabelecidas para o empreendimento.

Não basta, entretanto, que o líder diga o que os indivíduos devem fazer. Ele tem que inspirá-los a agir pelo exemplo e essa é uma característica compartilhada na atuação positiva.

Mais que orientar ou dar ordens, o profissional em destaque também tem que colocar a mão na massa, ter iniciativa e um pensamento positivo. Isso contribui para criar o espírito necessário na equipe, que se torna mais produtiva em sua atuação.

3. A transparência é outro elemento indispensável

Para que as pessoas se sintam compiladas a agir, elas precisam ser motivadas e, principalmente, ter confiança. Esse efeito, por sua vez, só será obtido se a comunicação for clara, transparente e direcionada.

Devido a essa necessidade, um líder positivo tem que atuar de forma transparente. Não adianta tentar esconder aspectos relevantes do time ou criar uma comunicação compartimentada e sem visibilidade.

Por meio da transparência, todos compreendem o que é mais destacável e conseguem se relacionar de um jeito longe de obstáculos.

4. A orientação dos colaboradores é feita de maneira diferenciada

Para que possam atingir o desenvolvimento, o líder deve motivar e capacitar os membros da equipe. É preciso reconhecer os pontos fracos e os fortes, de modo a otimizar e favorecer aquilo que há de positivo.

É por meio de feedbacks, orientações e reconhecimento que isso se dá, bem como pela oferta de oportunidades diversas de capacitação. Contudo, a liderança positiva é marcada pelo uso de uma psicologia com a mesma característica.

Mesmo diante de erros ou pontos que devem ser aprimorados, o líder atua de forma a estimular e desafiar — em vez de criticar ou trazer um aspecto pouco motivador. Isso permite que as pessoas descubram e explorem seu potencial com motivação, além de fortalecer os relacionamentos.

A liderança positiva é capaz de gerar ótimos resultados e, portanto, deve ser executada corretamente. Com essas atitudes que bons líderes têm, os efeitos podem ser obtidos com maior facilidade.

Conhece alguma outra característica que deveria ser incluída? Participe nos comentários!

Lizandra Arita

Graduada em Psicologia pela Universidade Bandeirante de São Paulo e em Engenharia pela FEI, Lizandra Arita é também psicóloga Institucional e Clínica, atuando desde 1998 (22 anos) em treinamentos de autodesenvolvimento. Especialista em PNL (Programação Neuro Linguística), Hipnose e Autohipnose, Rebirthing, Psicodinâmicas, Gerenciamento de Emoções e Conflitos, Lizandra é especialista em casos de depressão, ansiedade, processos emocionais ou comportamentais, problemas de relacionamento, fobias, pânico e transtornos obsessivos compulsivos.

Entre suas especializações, Lizandra tem formação em cursos de aperfeiçoamento de Master Practitioner pela SBPNL, Disney’s Approach to Quality Service (Disney Institute), Os Segredos da Mente Milionária (T. Harv Eker), Unleash the Power Within (Anthony Robbins), Hipnose & Auto-Hipnose (Instituto AmanheSer), Formação Profissional em Renascimento (Instituto Renascimento), Rebirthing (Instituto Sinergia),Grupo Dirigido de Psicodinâmica em Negócios (Cogni MGR), The Healing Potential of Non-Ordinary States of Consciousness (Stanislav Grof), Movie Yoga – Turning Your Life into an Epic Adventure (Tav Sparks), The Adventure of Self-Discovery/A Holotropic Breathwork Experience (Stanislav Grof e Tav Sparks), Gerenciamento de Emoções e Conflitos (Cogni MGR) e Psicologia Pré e Peri Natal (ACT Institute).

ARTIGOS RELACIONADOS

Fale por Whatsapp